“MariCarnaval 2018”: balanço da Defesa Civil, Saúde e coleta de lixo

A Secretaria de Proteção e Defesa Civil de Maricá divulgou, nesta quinta-feira (15), o balanço de ocorrências registradas durante o “MariCarnaval 2018”. De acordo com a secretaria, de sábado (10) até o fim da tarde da Quarta-feira de Cinzas (14), os guarda-vidas do município realizaram cerca de 6.302 prevenções e 167 salvamentos nas praias e lagoas da cidade. A maior incidência foi na Praia de Ponta Negra (Vilar da Praia), onde foram registrados 36 salvamentos, seguida da praia de Itaipuaçu, com 34 (próximo a Rua 53 com 34)

As ações da pasta, além de garantirem a segurança dos banhistas que frequentaram o litoral e as lagoas de Maricá, contribuiu também com a distribuição de mais de 1.814 pulseiras de identificação para crianças. Durante todo o período de carnaval o efetivo da Secretária de Proteção e Defesa Civil contou com 71 Guarda-vidas, distribuídos em 16 postos estratégicos. Além disso, para atendimento dos foliões, foram colocados a disposição duas motocicletas, três viaturas, dois quadriciclos e uma embarcação pronta para atender alguma emergência.


Apesar de toda a estrutura e efetivo disponibilizado, o secretário de Proteção e Defesa Civil, Luiz Carlos Santos, ressaltou que a forma mais efetiva de atuação para evitar um número maior de afogamentos definitivamente é a prevenção. “Nossos guarda-vidas foram treinados para instruir aos banhistas quanto o lugar seguro para o banho de mar, desta forma evitando que a população se coloque em situação de perigo devido às correntes de regresso e outras peculiaridades das praias e lagoas de Maricá”, explicou o secretário.


Lixo

O grande número de visitantes que Maricá recebeu durante o carnaval – estimado em 500 mil pessoas – provocou, entre outros efeitos, um aumento na quantidade de lixo recolhida. De acordo com a Secretaria de Conservação, foram 1.406 toneladas de dejetos entre o sábado (10) e a terça-feira (13), o que representa um número quase seis vezes maior do que o registrado em 2017, que foi de 230 toneladas.


Além da coleta regular de lixo nos bairros, que foi mantida normalmente durante a folia, a distribuição de cerca de 40 mil sacolas plásticas nas praias foi apontada como um fator que contribuiu para o aumento do número, junto com as campanhas de conscientização da Secretaria da Cidade Sustentável, como a “Praia Mais Limpa”, e a ampliação da frota de caminhões que fazem a coleta.


Saúde

O carnaval em Maricá foi de muito trabalho para as três unidades de urgência e emergência da rede pública de saúde de Maricá. As instalações atenderam nada menos que 4.545 pacientes nos dias de carnaval, ou seja, uma média de 1.136 pacientes por dia. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde. A novidade do setor neste ano foi o funcionamento do posto de saúde Santa Rita, no Jardim Atlântico, que foi reinaugurado no fim de dezembro como uma Unidade de Emergência 24 horas. O primeiro carnaval da unidade com a nova rotina teve um total de 471 atendimentos entre a sexta-feira (09) e a terça de carnaval (13/2), com duas remoções para outros locais.


Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas de Inoã, 1.982 pacientes foram atendidos no mesmo período, dos quais houve quatro transferências. O hospital Conde Modesto Leal, no Centro, foram 2.092 atendimentos até as 7 horas da manhã desta quinta-feira (15/2) em setores como trauma, pediatria, clínica médica e maternidade. O berçário recebeu até irmãos gêmeos nascidos durante a folia. A unidade realizou ainda 187 cirurgias no período.


Quanto ao balanço da área de segurança pública a prefeitura ainda não divulgou os números oficialmente.