Vovó centenária de Maricá é atendida no HTO Baixada

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Saúde ao GBNEWS,

após sofrer uma queda, a vovó de 100 anos quebrou o fêmur e passou por cirurgia na unidade.

A secretaria alerta para cuidados básicos que podem evitar acidentes domésticos

foto divulgação/SES

Vovó Avelina faz 101 anos em fevereiro e uma grande festa está sendo organizada

Nove filhos, 25 netos, 25 bisnetos, 4 tataranetos e muita vitalidade. A moradora de Maricá, Avelina Alves de Assis Lima é uma vovó de 100 anos que foi submetida à cirurgia de fêmur no Hospital Estadual de Traumatologia e Ortopedia Melchiades Calazans (HTO Baixada) na primeira semana do ano de 2018, após uma queda dentro de casa. Segundo a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 30% das pessoas idosas caem a cada ano e essa taxa aumenta para 40% entre os idosos com mais de oitenta anos.


- No HTO Baixada cerca de 40% dos atendimentos são realizados em idosos, público que apresenta uma fragilidade muito maior tanto da musculatura quanto da parte óssea e todo o cuidado ainda é pouco. É preciso ter atenção com detalhes dentro da própria casa para tornar o ambiente mais seguro e confortável para eles– orienta o secretário de Estado de Saúde e também ortopedista, Luiz Antonio Teixeira Jr.


Fraturas, contusões, traumatismos, hipertensão e o Acidente Vascular Cerebral estão entre as cinco principais causas de atendimento a esse público. A filha de dona Avelina, a dona de casa Luzia Alves de Lima, conta que ao se levantar do sofá a mãe escorregou e caiu.


- Cuido da minha mãe há 24 anos, vivo para ela, estamos muito felizes com o atendimento que recebemos no HTO, peço que Deus abençoe a todos do hospital, que nos trataram com tanto amor. Agora estamos pensando no aniversário de 101 anos, que acontece no dia 15 de fevereiro – agradeceu a dona de casa.


Muitos dos acidentes com idosos acontecem dentro de casa e é possível adotar algumas medidas preventivas que podem diminuir os riscos de queda. Confira abaixo as dicas do diretor geral do HTO Baixada, o ortopedista Luiz Carlos Nobre:


Instale barras de segurança


A maior parte das quedas dos idosos ocorre dentro de casa, em especial no banheiro e na cozinha, por isso é importante instalar barras para suporte e pontos de apoio, principalmente nestes cômodos. Também é importante que as escadas contem com corrimão.


Mudanças no banheiro


O banheiro é o cômodo onde grande parte dos acidentes acontecem, por isso, instalar barras nos chuveiros e próximo ao vaso sanitário é muito importante, além de incluir tapete antiderrapante para o box e manter o chão sempre seco.

É interessante também diferenciar as cores das louças e móveis do banheiro das cores da parede e chão para que o espaço seja claramente identificado pelos idosos.


Retire os tapetes


Além das alterações de equilíbrio, o idoso sente mais dificuldade na caminhada, que fica lenta e arrastada, facilitando tropeços e escorregões. A presença de tapetes soltos no piso representa um risco e, por isso, deve ser evitado.


Cuidado com animais


Os animais trazem benefícios à vida do idoso, mas também podem ser um risco à segurança. É importante que o idoso esteja sentado para brincar com o animal e que tenha cuidado para não tropeçar no bichinho.


Interruptores de fácil acesso


O idoso precisa saber onde está o interruptor porque nesta fase da vida a visão tende a estar comprometida e isso pode ocasionar quedas. A instalação de abajures e sensores de presença podem ser alternativas eficientes.


Colchão e cama na altura certa


É importante que a altura da cama esteja de acordo com a altura do idoso, caso contrário, o idoso pode ter dificuldades para se deitar e levantar, facilitando quedas. Densidades muito baixas de colchões, além de não ajudarem na postura, dificultam a mobilidade tanto no momento em que idoso estiver dormindo, ao se virar na cama, quanto ao levantar-se. Dessa forma, tão importante quanto a altura apropriada da cama é um colchão de densidade adequada ao peso e tamanho do idoso.


Poltronas e cadeiras


Da mesma maneira que a cama deve estar na altura certa, as poltronas e cadeiras devem seguir um padrão para prevenir a queda do idoso. É recomendados que as poltronas e cadeiras tenham braços, porque ter um apoio para se levantar ou sentar evita o desequilíbrio, e o idoso se locomove com mais segurança. É importante optar por cadeiras que tenham boa fixação no chão. Móveis muito leves que tem pernas de plástico ou rodinhas na base, por exemplo, podem favorecer acidentes.