Prefeitura de Maricá e Cedae vão plantar 33 mil mudas no Silvado

11.01.2018

Uma ação simbólica de reflorestamento, com o plantio de oito mudas, foi realizada nesta quinta-feira, (11), na Fazenda Toulon (Estrada do Silvado) numa parceria da Prefeitura de Maricá com a CEDAE e o proprietário rural. O local é o ponto de abastecimento do Centro da cidade

 

                                                                                                                                       fotos Marcos Fabrício

                                                    Fabiano e Helter falam com as crianças da importância da recuperação da várzea

 

A ação contou com a participação do prefeito Fabiano Horta (PT) e traz para Maricá o programa “Replantando vidas” da CEDAE, que vai permitir o plantio diário de aproximadamente 30 espécies de mudas nativas da mata atlântica – entre ipê (Tabebuia), cedro rosa (Cedrela fissilis), ingá branco (Inga edulis), guapuruvu (Schizolobium parahyba), maricá (Mimosa bimucronata), embaúba (Cecropia pachystachya), aroeira (Myracrodruon urundeuva), dedalheiro (Lafoensia pacari) e tamanqueira (Aegiphila sellowiana) – para a recuperação da várzea numa área de 10,4 hectares totalizando 33 mil mudas ao longo de três anos de atividades.

 

De acordo com o prefeito, esta não é uma solução estrutural da cidade, mas uma minimização e um agente que se soma ao esforço de captação de água e serve de exemplo para outras cidades.

 

“Maricá é uma cidade que tem muita pressão diária de expansões imobiliárias, mas é também a cidade que mais preservou mata atlântica, mantendo o bioma local daqui e da Restinga, por exemplo. Hoje é um dia importante, pois este é o maior reflorestamento da história de Maricá. São 100 mil metros quadrados de mata reintroduzida fazendo a encosta de beira de rio e a longo prazo vai ajudar a cidade a ter um manancial importante. A cidade hoje amanhece mais verde. Vamos plantar”, convidou Fabiano.

Secretário de Cidade Sustentável, vereador licenciado Helter Ferreira (PT) falou sobre a educação ambiental.

 

“Além de recuperar uma área degradada, a população ganha ecologicamente, com a conquista de área, além de qualidade de vida por causa do ar e da água. Em muitos lugares há necessidade de abater algumas árvores, aqui fazemos uma compensação. Trouxemos cerca de 10 crianças aqui da localidade para participar, porque esse processo vai garantir o futuro delas. Então é importante que tenham a consciência da importância dessa ação”, justificou.

 

“A Cedae elaborou o projeto para a revitalização e vai trabalhar melhorias na bacia para garantir a preservação da qualidade da água, fornecendo também mudas, insumos e apoio técnico. Com isso, a médio e longo prazo vamos garantir a melhora da qualidade no abastecimento de água do município”, ponderou o engenheiro florestal da CEDAE, Elton Abel adiantando que oito homens atuarão no local por dia.

 

Para Lohan Ramos (9 anos), que ajudou no plantio da primeira muda, é fundamental realizar o processo. “Foi muito bom plantar essa árvore, ele explicou que sem isso o rio acaba”, contou.

A amiga Yasmin Silva (14 anos) completou: “Isso vai dar vida ao rio e aos nossos filhos. Porque hoje eu não tenho, mas como o resultado é para daqui há 10 anos, eu posso vir a ter”.

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino