Operação Lei Seca em Maricá contou com câmeras de alta definição

Blitz em Ponta Negra à exemplo de outras ações em todo o estado, nesse período de festas de fim de ano, contou com equipamento moderno que mandou imagens para uma central de monitoramento na sede do governo estadual em Laranjeiras, Zona Sul do Rio

fotos Carlos Magno

Prossegue em vários pontos do Estado do Rio de Janeiro a Operação Lei Seca para tirar de circulação motoristas que insistem dirigir embriagados. Na noite de sábado (23), dois motoristas foram parados numa blitz em Ponta Negra, município de Maricá. Além de responder a processo administrativo, os motoristas reprovados no teste do bafômetro, têm suas carteiras de habilitação apreendidas e podem ficar até um ano proibidos de dirigir. Terão que pagar também uma multa de R$2.934,70. A operação que conta com participação de PMs e agentes do Detran, foi montada na Avenida São Pedro Apóstolo.


A Operação Lei Seca conta com a tecnologia como aliada para dar mais transparência às abordagens. Cerca de 50 câmeras, distribuídas por nove equipes, filmam todas as ações realizadas durante as blitzes. As imagens geradas são monitoradas, em tempo real, por uma Central 24 horas que funciona no prédio Anexo do Palácio Guanabara.

As câmeras de pequeno porte ficam acopladas ao colete dos policiais e uma outra, um pouco maior, monitora toda a movimentação na tenda, onde os documentos do motorista abordado são checados e onde é realizado o teste com o bafômetro. As câmeras captam o áudio interno e externo da tenda.


"Caso exista alguma divergência, as imagens são devidamente analisadas", disse o coordenador da Operação Lei Seca, tenente-coronel Marco Andrade.


Central Todas as câmeras possuem um chip 4G e um mapa de localização, que permite que as imagens sejam monitoradas, não somente pela Central de Monitoramento, mas pelo coordenador da Operação, através de site na internet. As câmeras são resistentes à água, à queda e também são blindadas.


As blitzes da Operação Lei Seca prosseguirão durante todo esse período de festas de fim de ano e não está afastada a hipótese de ser repetida outras vezes em Maricá, cidade distante da capital do Rio de Janeiro apenas 60 quilômetros. Como acontece todos os anos, o município recebe grande número de turistas nacionais e internacionais que lotam hotéis, pousadas e casas que foram alugadas para a temporada de verão.