Economia Solidária e Reforma Agrária levam produtor maricaense ao Centro da cidade

A Praça Orlando de Barros Pimentel recebeu nesta sexta-feira (15) o 1º Festival de Economia Solidária e Reforma de Maricá, que ofereceu 14 estandes com diferentes itens de produtores locais de hortifrutigranjeiros e artesanato, além de um dia inteiro de debates sobre o tema e atividades culturais. O prefeito Fabiano Horta (PT) participou da abertura ao lado do secretário de Economia Solidária, Diego Zeidan. Também na mesa, os secretários Igor Sardinha (Indústria e Portuária), Júlio Carolino (Agricultura, Pecuária e Pesca) e João Carlos de Lima (Participação Popular Direitos Humanos e Mulher) e mais a deputada estadual Rosângela Zeidan (PT) e o vereador Marcus Bambam (PV)

fotos GBNEWS

Em sua fala, Fabiano Horta classificou o evento como muito construtivo e afirmou que é preciso fomentar a relação do pequeno produtor com o consumidor. “Que este festival seja a luz para esse projeto de economia solidária, para que isso seja cada vez mais uma realidade em nossa cidade”, afirmou o prefeito.

De acordo com Diego Zeidan, ao lado do prefeito Fabiano Horta, o objetivo do evento é estimular a produção local. “Com exceção dos integrantes do Movimento dos Sem Terra que vieram participar, todo o restante são expositores de Maricá. O produtor da cidade sempre vai ter nosso estímulo. Queremos uma cidade mais humana, voltada para as pessoas”, afirmou o secretário.


Para os expositores, o festival é uma ótima oportunidade não apenas de negócios mas também para mostrar seus produtos à população. “É muito importante para a gente também mostrar às pessoas que é preciso preservar a natureza, porque é dela que tiramos nossa produção e nosso sustento”, disse o apicultor Luiz Cláudio Cole, de 77 anos, que há 30 extrai mel de colmeias em quatro bairros para seu laboratório no retiro.

Quem foi à feira para comprar os produtos saiu bem satisfeito. “Gostei muito da qualidade e dos preços, tinha que ter isso todo mês”, afirmou Célia Carmem Amêndola, de 69 anos, moradora do Espraiado.


Entre as atrações culturais do Festival o Coral do Bairro da Amizade, a poesia do coletivo RuEzia, além de Dança de Rua e apresentação de mágicos. Durante o evento foi lançado o Roteiro de Turismo de Base Comunitário, elaborado em conjunto com a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio).