Plantas de restinga vão proteger a Praia do Peró

Toda a Praia do Peró, em Cabo Frio, será protegida por ipomeas (plantas fixadoras de dunas) no seu trecho urbano. Funcionários da Coordenadoria do Meio Ambiente estão cercando as áreas que serão protegidas. As ipomeas evitam que a areia da praia vá para o asfalto e têm função importante na proteção da orla em caso de ressaca. A praia do Peró é candidata à Bandeira Azul, certificado internacional de qualidade

 

                                                                                                                          fotos Marcelo Valente

 As cercas estão sendo colocadas ao longo do todo o trecho urbano e o plantio só não será feito nos acessos à praia. Os funcionários da prefeitura também instalaram placas indicando que as áreas estão em recuperação e que estão passíveis de multas e outras sanções as pessoas que invadirem as áreas protegidas, em especial veículos (quadriciclos).

 

Biólogo e consultor ambiental, Mário Flávio Moreira explicou que a recuperação faixa de areia das praias (ante-praias), com plantio de vegetação nativa, deve ser a primeira providência a ser tomada para a reabilitação do ecossistema.

 

No caso da Praia do Peró, segundo ele, foi usada a Ipomoea imperati ou popularmente conhecida como Ipomeia-branca-da-praia, uma planta pioneira típica das zonas costeiras arenosas, estando confinado às dunas e ante-praias, onde tem um importante papel na fixação das areias.

 

-- As plantas barram o sedimento que o vento sopra da praia e, conforme a vegetação nativa desenvolve suas raízes, rizomas e estolões, o pacote arenoso é fixado. A perda da vegetação torna a praia e a duna mais suscetíveis à erosão causada por ventos e ondas e dificulta a recomposição destes ambientes após a passagem de ondas com alta energia – disse o biólogo, que atuou na recuperação ambiental da orla de Costazul, em Rio das Ostras.

 

A ampliação do plantio dá prosseguimento ao trabalho iniciado em 2013 pelo movimento Ondas do Peró que, como apoio dos Amigos do Peró, fez o primeiro jardim de ipomeas em frente ao Hotel Paradiso Peró. Neste trecho, a areia nunca mais voltou a chegar ao asfalto em dias de ressaca e ventos fortes:

 

-- A vegetação típica de restinga é importante para evitar os danos provocados pelas ressacas e poucos sabem que as ipomeas são boas até para o surf, pois exercem influência no fundo da maré. E no Peró temos as ondas que formam os melhores tubos do litoral fluminense – disse Marcelo Valente, do Ondas do Peró, que dá informações diárias sobre as condições do mar para o Rico Surf.

 

Paloma Arias, da coordenação do Projeto Bandeira Azul, destacou a importância do apoio dos quiosqueiros à proteção dos jardins de ipomeas:

 

-- Infelizmente, existem pessoas que danificam as cordas e os moirões usados no cercamento. Todas as áreas agora serão sinalizadas e fiscalizadas pela Guarda Marítima e Ambiental – disse Paloma Arias.

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino