PF cumpre mandados de prisão contra Jacob Barata, Felipe Picciani e Lélis Teixeira

Desde o início da manhã dessa terça-feira (14), policiais federais estão nas ruas para cumprir mandados de prisão contra o maior empresário de ônibus do Rio, Jacob Barata, contra Felipe Picciani, filho do presidente da Alerj Jorge Picciani e também contra o ex-presidente da Fetranspor Lélis Teixeira. Os agentes cumprem ainda mandados de busca e apreensão na operação Cadeia Velha, que é desdobramento da Lava Jato

Os policiais estão agora na casa do presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani (PMDB) que será levado para prestar depoimento. O ex-presidente da Alerj, deputado Paulo Mello (PMDB) também será levado para prestar depoimento na sede da Polícia Federal, na Praça Mauá, Centro do Rio, mas não foi encontrado na sua casa na Zona Sul. O apartamento em Copacabana está vazio e colocado a venda.


Na Assembleia Legislativa os agentes federais realizam busca e apreensão no gabinete de Jorge Picciani, no desdobramento da Operação Ponto Final, também da Lava Jato, que investiga desvios de verba no transporte público do Estado.


Policiais federais também cumprem mandados de busca e apreensão em Uberaba, Minas Gerais, onde a família Picciani tem fazendas com criação de gado. Segundo delação premiada do ex-presidente do TCE, Jonas Lopes, a família Picciani utiliza as fazendas para a lavagem de dinheiro.


Felipe Picciani é o único que não entrou para a política no Estado do Rio de Janeiro. Ele cuida dos negócios da família e é acusado de lavagem de dinheiro. Leonardo Picciani é deputado federal licenciado por estar ministro dos Esportes no governo do presidente Michel Temer e Rafael Picciani é deputado estadual.