Violência: segurança será reforçada em Maricá

 

Não é de hoje que assaltos, roubos, furtos, homicídios e outros tipos mais de violência vêm aterrorizando a população de Maricá, litoral fluminense. Autoridades estaduais e municipais da área de segurança se reúnem constantemente com líderes comunitários e prometem uma série de ações para garantir a segurança da população. De efetivo até hoje nada foi feito. O Estado está falido, não vai aumentar o número de policiais civis e militares na cidade e a Prefeitura sabendo disso, tenta amenizar a situação com  algumas ações mobilizando a sua guarda municipal. É bom lembrar que o incompetente governador Pezão (PMDB) não morre de amores pela administração petista da cidade, que no ano passado o ofendeu publicamente numa entrevista do então prefeito Washington Quaquá.

 

                                                                                 Foto: divulgação

   Aldair de Linda (PT), presidente da Câmara de Vereadores de Maricá

 

Até ontem (27/9) os vereadores de Maricá faziam discursos esporádicos sobre a violência, só para dar uma satisfação aos seus eleitores. Afinal de contas os refletores estão acessos com transmissão ao vivo, via internet, das sessões ordinárias. Porém, bastou acontecer um caso mais sério, que vitimou agentes de endemia, para ser motivo  de discussão mais acalorada durante a sessão ordinária na Câmara.

 

Os parlamentares lamentaram o ocorrido e clamaram por uma intervenção rápida e eficaz para frear a incidência de criminalidade. O presidente da Casa, Aldair de Linda (PT) começou a sessão comentando o assalto sofrido pelos trabalhadores da endemia e adiantou que as viaturas que serão usadas na segurança da cidade já chegaram. Os veículos já estão sendo envelopados (caracterizados). Segundo ele, serão mais 30 policiais que trabalharão em conjunto com a Guarda Municipal nas entradas e saídas da cidade. O policiamento deverá começar no início de outubro.

 

“Os agentes de endemia foram covardemente assaltados essa semana. Levaram seus pertences, celulares. A audácia desses vagabundos que não respeitam nem quem está tentando acabar com os focos de mosquito, um grupo que trabalha na saúde do município. Chegamos no auge da insegurança. O Poder Executivo está trabalhando incessantemente para dar segurança aos munícipes. Peço que a população tenha um pouco mais de paciência”.

 

Outros vereadores também se manifestaram, citando alguns exemplos ocorridos com vizinhos ou amigos mais próximos. Na verdade, diariamente o cidadão de bem é vítima da violência que tomou  conta do Rio de Janeiro. As estatísticas aumentam e nada é feito efetivamente para garantir o direito de ir e vir dos moradores e visitantes do Estado.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino