Niterói perde apenas para Maricá em royalties do petróleo

Cidade em franco desenvolvimento

pode receber até R$ 630 milhões em 2017

Niterói recebeu R$ 420,6 milhões com royalties e arrecadações especiais advindas do petróleo apenas nos oito primeiro meses deste ano segundo a Agencia Nacional do Petróleo (ANP). Se essa crescente de arrecadação permanecer durante o restante do ano, os recursos provenientes da exploração de petróleo vão representar 27% do total da receita prevista para o município na Lei Orçamentária Anual de 2017 (R$ 2,34 bilhões), ou seja, R$ 630 milhões.


Desenvolvimento

Com esse montante, o planejamento de Niterói inclui o investimento de R$ 160 milhões em obras de infraestrutura, R$ 100 milhões na recuperação de áreas degradadas, iluminação e obras de revitalização e R$ 20 milhões em Segurança Pública. Outra parte dos recursos será utilizada para cobrir o déficit previdenciário.


Esse valor arrecadado nos oito primeiros meses deste ano já supera toda a arrecadação proveniente de petróleo em 2016 – ano que já havia sido o recordista neste quesito na história da cidade – quando a Cidade Sorriso ocupou o a quarta colocação do Estado, ao receber R$ 303,1 milhões. De janeiro a agosto de 2016, Niterói havia recebido “apenas” R$ 191 milhões. Com a disparada desse ano, o município já ocupa o segundo lugar do Estado, ultrapassando Macaé e Campos dos Goytacazes, atrás apenas de Maricá.


O grande responsável pelo impulso dado nessa arrecadação, tanto para Maricá quanto para Niterói, é o campo petrolífero de Lula, que responde por 25% de toda a produção nacional. Trata-se do maior produtor e explorador de petróleo do país, que encaminha a Niterói 43% de seus royalties relacionados à sua confrontação territorial, enquanto 49% vai para Maricá e os 8% restantes ao Rio.