Prefeitura de Petrópolis repassa mais R$ 500 mil para Cruz Vermelha

R$ 1,5 milhão foram repassados dia 12

para que a entidade quitasse a folha

Consórcio Saúde Legal iniciou a administração das UPAS nesta quinta-feira (21)

Foto divulgação

A prefeitura repassou R$ 500 mil à Cruz Vermelha nesta quarta-feira (20.09) com a determinação expressa de que os recursos fossem usados para quitar os salários dos funcionários das UPAS Centro e Cascatinha. No dia 12 de setembro a prefeitura já havia repassado à Cruz Vermelha R$ 1,5 milhão para o pagamento integral da folha, mas a Secretaria de Saúde apurou que o valor foi utilizado pela Cruz Vermelha para quitar encargos trabalhistas atrasados de gestões passadas e rescisões. A Cruz Vermelha assumindo o compromisso junto ao município de pagar os salários das equipes das unidades até o final da tarde desta quarta-feira, já efetuou os depósitos.


O município herdou uma dívida de R$ 5 milhões referentes ao contrato de prestação de serviços junto à Cruz Vermelha das gestões passadas entre os anos de 2012 a 2016. A atual gestão pagou R$ 2 milhões da dívida – somente nos oito primeiros meses de gestão - e há ainda R$ 3 milhões a serem quitados. As dívidas são de 2012, na ordem de R$ 490 mil; de 2013, montante de R$ 331 mil; de 2014, R$ em 359 mil; de 2015 em R$ 766 mil e em 2016 chegaram a R$1,1 milhão.


“Todos os atrasos de gestões passadas foram ‘colocados na conta do governo do Estado’, mas são fruto de má gestão da prefeitura que chegou ao absurdo de, em 2015, não ter enxergado R$ 22 milhões de repasses federais para as unidades. Uma dívida que a cidade hoje está pagando e poderia estar investindo em outras ações, avançando na Saúde”, lamenta o secretário Silmar Fortes.

A Secretaria de Saúde oficiou a Cruz Vermelha no último dia 19 a deixar a administração das UPAS nesta quinta-feira quando assumirá o Consórcio Saúde Legal, homologado vencedor da licitação para gerir as unidades com o valor de R$ 26.155.00,00 anuais. A nova gestão das UPAs significa economia de 39,5%. São R$ 17 milhões por ano que a prefeitura passa a investir em outros setores da saúde, principalmente nos PSFs.


O Consórcio Saúde legal já iniciou a transição nesta quarta-feira (20.09) e, desde às 9h, está com equipes administrativas nos locais preparando o início da operação total do sistema das duas unidades a partir desta quinta-feira.


“Vale ressaltar que todos os pagamentos referentes à nossa gestão estão em dia. Herdamos uma dívida gigantesca na Saúde - R$ 97,4 milhões – e estamos renegociando e pagando na medida do possível. E o Consórcio Saúde Legal não está medindo esforços para absorver todos os funcionários que queiram continuar trabalhando nas unidades”, afirma Silmar Fortes.