Valor do aluguel do Centro de Convenções será decidido por acordo entre as partes


Em audiência de conciliação realizada no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), a juíza Paula Silva Pereira aceitou o pedido feito pela Previ-Rio e pela Racional Engenharia Ltda de suspender, por sessenta dias, a ação de reajuste do valor do contrato de aluguel firmado entre as duas empresas para ocupação e exploração do Centro de Convenção Sul América, na Cidade Nova.


A suspensão da ação na 16º Vara de Fazenda Pública foi para tentar um acordo entre as empresas. O Ministério Público não se opôs ao requerimento.


Em agosto de 2016, quando a Previ-Rio entrou com ação na Justiça, o valor do aluguel pago pela Racional foi de cerca de R$ 240 mil. A secretaria de Fazenda constatou que o imóvel está avaliado em cerca de R$ 337 milhões. Por isso, a Previ-Rio quer que a Racional pague em torno de R$ 1,7 milhão de aluguel.


O contrato de exploração foi assinado em 1997, com duração de 30 anos. Na época, o imóvel foi avaliado em R$ 23 milhões.