Réu confesso e ex-integrante da turma do chuvisco pode antecipar aposentadoria no TCE

                                                                               Os advogados Jonas Lopes e o filho Joninhas  alvo da Polícia Federal

 

O ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), advogado Jonas Lopes, vai antecipar sua aposentadoria para evitar que o Sindicato dos Advogados do Rio de Janeiro peça na justiça o seu afastamento definitivo. Jonas Lopes é réu confesso e delator do esquema de corrupção no Tribunal, que acabou levando para a cadeia temporariamente, cinco dos seis conselheiros do TCE. Eles foram soltos dias depois e afastados de suas funções por seis meses.

 

Segundo o presidente do Sindicato dos Advogados, Álvaro Quintão, a ação contra o ex-presidente do TCE está praticamente pronta e se não der entrada amanhã, o fará semana que vem.

 

Jonas Lopes tem 60 anos de idade, foi homem forte de Anthony Garotinho na prefeitura de Campos. No Estado, foi secretário chefe da Casa Civil do governo Garotinho que o indicou para o conselho do TCE-RJ. Jonas e seu filho, Jonas Lopes Filho numa das operações da Polícia Federal, foram levados coercitivamente para prestar depoimento. Joninhas era advogado do ex-governador Garotinho.

 

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro exonerou em abril o chefe de gabinete da presidência o advogado Giorgio Oliboni. Ele é apontado na delação do ex-diretor da Andrade Gutierrez, Marcos Vidigal do Amaral, como responsável por intermediar os pagamentos de propina da construtora ao ex-presidente da entidade, Jonas Lopes.

 

Oliboni foi seu assessor pessoal, a quem Lopes tratava como “sobrinho”. E aos poucos foi crescendo no TCE.

 

O jovem advogado é filho do também advogado Antônio Oliboni, que viera a ser secretário de Justiça de Anthony Garotinho. Junto com Jonas Lopes, então secretário de governo, formaram a “turma do chuvisco” — grupo acusado de favorecer empresas em concorrência pública e firmar contratos sem licitação.

 

Afastado nos anos 2000 da secretaria por um escândalo envolvendo as refeições em presídios fluminenses, Oliboni pai foi casado ainda com a sobrinha de Lopes, a defensora pública Marcella, irmã do hoje desembargador do TJ Francisco Assis Pessanha, o Kiko, filho do desembargador aposentado Francisco de Assis Pessanha e da advogada Rosely Pessanha, chefe da Casa Civil no governo de Rosinha Garotinho.

 

Anos se passaram e, em delação, Lopes revelou um esquema envolvendo novamente as quentinhas das prisões. De volta às origens, o TCE teria cobrado 15% dos pagamentos feitos pelas fornecedoras das refeições.

 

 Hoje, o salário de um conselheiro é de R$ 30.471,11.

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino