Angra dos Reis busca recursos em Brasília para o turismo


Angra dos Reis entrou na lista de municípios que concedem uma linha de financiamento para empresas privadas que trabalham com turismo. Para este ano, a verba do Governo Federal para esta modalidade de crédito é de R$ 65 milhões. E é especial para hotéis, pousadas, companhias aéreas ou de navegação e qualquer empresa que trabalhe diretamente com turismo.

A verba é proveniente do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) e é repassada através de convênios com a Caixa Econômica Federal (CEF). A CEF, inclusive, é quem faz análise de risco de crédito e checa a documentação de cada empresa candidata.

O dinheiro do Fungetur é repassado em duas categorias: para obras e para a aquisição de equipamentos. Para obras, como uma reforma de um hotel, o percentual de financiamento é de até 80% do valor total, com carência de cinco anos e prazos de 20 anos para a quitação. O limite é de R$ 10 milhões por empresa. No caso da aquisição de equipamentos, o prazo de pagamento cai para cinco anos com uma carência de um ano. O limite é de R$ 1 milhão.


Ministro Marx Beltrão e o presidente da TurisAngra, Peninha foto divulgação

O acordo foi fechado ontem em Brasília entre o presidente da Fundação de Turismo de Angra dos Reis (TurisAngra), Carlos Henrique Souza de Vasconcelos, o Peninha, o ministro do Turismo, Marx Beltrão, e o secretário nacional de Desenvolvimento de Turismo, Henrique Pires.

Logos após a audiência com o ministro, o presidente da TurisAngra esteve reunido com o diretor do Departamento de Ordenamento de Turismo, Rogério Cóser, e com o coordenador geral de Apoio ao Crédito e ao Fungetur, Marcelo Moreira. Na ocasião, ficou decidido que funcionários do ministério especialistas do fundo virão a Angra dos Reis para explicar as regras do financiamento aos empresários interessados. A data ainda será divulgada pela fundação.

“Estamos abrindo as portas para uma nova fase para o turismo na Baía da Ilha Grande. Buscando junto ao Governo Federal as condições que sempre existiram, mas que a última administração nunca procurou. Os recursos existem para quem quer trabalhar e para quem tem projetos para o desenvolvimento do setor. A atual administração municipal apresenta projetos concretos e viáveis a investimentos municipais em prol da população“, concluiu o presidente da TurisAngra.


Esta linha de crédito do Fungetur vem se juntar aos outros três recursos federais que foram anunciados para o município neste semestre. As reformas dos cais de Santa Luzia, no Centro de Angra, e da Vila do Abraão, na Ilha Grande, no valor de R$ 1,661 milhão, oriundos do Ministério do Turismo, através de emenda parlamentar do então deputado federal Fernando Jordão, hoje, prefeito. Assim como o projeto para o novo pórtico da cidade, com valor de R$ 254 mil. E a reforma do Centro de Informações Turísticas, na Praia do Anil.