Turismo é a palavra chave de Maricá


Coronel Leite ao centro ladeado pelo secretário de governo Renato Machado, esposa e filho e, a direita,

Felipe Auni, Alexandre Oliveira e 1º tenente Rodolpho (foto Pery Salgado)

Maricá é um dos poucos municípios do Rio de Janeiro que vem driblando a crise econômica que o Estado atravessa, mantendo em dia o pagamento de salários dos servidores e faturas dos fornecedores. Em franco desenvolvimento e sabendo que Maricá tem vocação para o turismo que gera emprego e renda, o prefeito Fabiano Horta (PT) aguarda a aprovação por parte da Câmara de Vereadores, do projeto de lei que cria o Carnaval Fora de Época. Também para incrementar o transporte de cargas e turistas, o Aeródromo de Maricá acaba de receber da Aeronáutica um importante equipamento, fundamental para as operações.


Escolas de Samba


O projeto de lei do Carnaval Fora de Época que terá desfile de 12 escolas de samba de Maricá no último fim de semana de julho, a partir de de 2018, era para ser votado ontem, em segundo turno, mas a decisão ficou para a sessão ordinária da Câmara de Vereadores de amanhã.


Como tem vereador insistindo em afirmar que carnaval fora de época não é prioridade e sim a saúde, educação, transporte etc, o autor do projeto de lei Dr. Felipe Auni (PSD), explicou que cada secretaria municipal tem o seu orçamento, votado e aprovado pela Câmara Municipal, e que esse dinheiro não pode ser desviado para outras finalidades.


“O Carnaval Fora de Época ficará sob a responsabilidade da Secretaria de Turismo. Não vai dar emprego apenas nos dois dias do evento. As escolas de samba se preparam o ano inteiro e geram emprego para costureiras, metalúrgicos, artesões, músicos etc. As nossas escolas também receberão materiais doados pelas agremiações do Rio. Teremos mais um evento nas férias de meio de ano e, com isso, nossa rede hoteleira e pousadas terão uma ocupação maior”.


“Maricá é uma das cidades que mais recebem os milhões de reais dos royalties do petróleo, mas isso um dia vai acabar. Temos que pensar lá na frente e a nossa cidade tem vocação para o turismo, o turismo ecológico, de aventura, náutico, religioso, de cultura etc. O turismo de negócio também é um grande gerador de emprego e renda e Maricá com seu aeródromo, no eixo Rio-São Paulo tem tudo para acelerar ainda mais o seu desenvolvimento”, frisou Felipe Auni que conta amanhã com os votos dos 17 vereadores que compõem a Câmara, para a aprovação definitiva do Carnaval Fora de Época.


Veículo especial para o Aeródromo


O jovem médico-vereador Dr. Felipe Auni também falou do presentão que Maricá recebeu durante os festejos dos 203 anos da sua emancipação politico administrativa no dia 26 deste mês. Graças a sua intervenção e do presidente do PSD-Maricá Alexandre Oliveira, o Aeródromo de Maricá conta agora com o veículo especial de contraincêndio (modelo AC-3) para compor a sua equipagem, caso contrário, as operações seriam inviabilizadas completamente por falta de requisitos mínimos de segurança.


foto gbnews


Este veículo, cedido ao município pela Aeronáutica, é diferente dos demais carros de bombeiro, pois é preparado para combate de incêndios em aeronaves de grande porte, utilizando espuma “fabricada” dentro do próprio caminhão e jogada através de um canhão de água e/ou espuma. Um caminhão deste tipo, é cerca de três vezes mais caro que um caminhão dos bombeiros, destes que normalmente vemos nas ruas.


A cessão desta viatura foi do Departamento de Infraestrutura da Aeronáutica através do Coronel Leite, responsável por 16 aeroportos militares e mais 5 mistos (civis e militares) em todo Brasil, que utilizou a lei de incentivo à aviação civil. Maricá foi um dos 50 municípios contemplados neste projeto que se iniciou em 2016 e está sendo finalizado. A conquista também aconteceu de forma rápida, apenas quatro meses neste processo.


Emprego e renda


Durante as comemorações dos 203 anos de emancipação politica administrativa na semana passada, inúmeros eventos culturais-sociais-esportivos foram programados. Hotéis e pousadas ficaram lotados e, somente no show do sertanejo Luan Santana, na madrugada de sábado, o público estimado pela PM foi de cerca de 50 mil pessoas que movimentaram o comércio, gerando emprego e renda, além de ter aumentado a arrecadação do município, que tem como palavra chave “turismo”.