Prefeitura garante que não há risco de desabamento do Mergulhão

17.05.2017

O secretário municipal de Governo, Vitor Junior, o diretor de Obras Especiais da Emusa, Lincoln Silveira e demais diretores da Empresa Municipal de Moradia, Urbanização e Saneamento participaram na tarde de ontem de uma reunião no Gabinete da Presidência da Câmara com vereadores. A reunião teve o objetivo de esclarecer qual tipo de obra estava sendo feita e a real segurança do  Mergulhão Ângela Fernandes, na Avenida Marques do Paraná, no Centro de Niterói. 

 

O diretor da Emusa explicou que as obras estão sendo feitas no Mergulhão com os recursos de R$ 1,5 milhão e tranquilizou a população quanto a segurança da via. 

 

“Todas as juntas de dilatação das estacas estão sendo soldadas para que a água não mais penetre no túnel. Depois faremos um jateamento geral e pintura de limpeza. A população pode ficar tranquila quanto à segurança. Não há nenhum risco de desabamento ou coisa parecida”, enfatizou Lincoln.

  

Em relação à laje que cobre a área do mergulhão os técnicos explicaram que ela foi construída para suportar até 45 toneladas por metro quadrado. Segundo a Emusa, no momento, não há nenhum projeto para a construção de uma praça ou estação rodoviária sobre a laje, conforme estava previsto no projeto inicial. A obra de manutenção, iniciada após denúncias de que uma viga estava rachada, tem como objetivo também aumentar a vida útil das estacas e das estruturas da obra. 

 

A reunião dos técnicos da Emusa com os vereadores de Niterói foi solicitada depois que um vídeo viralizou na internet questionando a segurança da estrutura. O assunto chegou ao plenário com parte dos vereadores colocando em dúvida a segurança da travessia e, posteriormente, o elevado valor anunciado pela Emusa para a reforma do Mergulhão. 

 

Participaram da reunião os vereadores Bruno Lessa (PSDB), Carlos Macedo (PRP), Leandro Portugal (PV), Milton Cal (PP), Paulo Bagueira (SDD), Paulo Eduardo Gomes (PSOL), Paulo Velasco (PTdoB), Renato Cariello (PDT), Ricardo Evangelista (PRN), Rodrigo Farah (PMDB) e Talíria Petrone (PSOL).

 

Veto - Na sessão plenária desta terça-feira, dia (16) vereadores mantiveram o veto do prefeito Rodrigo Neves (PV) ao projeto de lei do vereador Bruno Lessa (PSDB) que criava cota de emprego em obras públicas para pessoas atendidas em programas de prevenção às drogas. Onze vereadores votaram favoráveis à manutenção do veto e outros seis contrários a iniciativa do veto.

 

 

Facebook
Twitter
Linkedin
Pinterest
Google+
Please reload

2017 @ TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Desenvolvido por Paula Celestino